quinta-feira, 29 de maio de 2008

Sul do Chile 2008 Parte 10

Juntos, mas cada um na sua!

Sul do Chile e Argentina 2008.

Parte 10

Saímos de San Francisco em direção à Santa Fé e Paraná. Após este trecho, pegamos as Rutas 12 e 127. Neste trecho, meio deserto, paramos para almoçar e abastecer as motos. Só que não havia gasolina no único posto do local, e o próximo, para frente ficava a 130 km! Resolvemos não arriscar e voltamos um pouco, pois eu havia visto um outro posto num vilarejo que havíamos passado, 10 km antes. Se neste não houvesse gasolina também, estaríamos encrencados. Principalmente eu!
Chegando lá, o local parecia vazio. Pensei estar assim por não haver combustível. Demorou alguns minutos mas apareceu um frentista que, para meu alívio, veio em minha direção já perguntando se eu queria “super” ou “normal”. -Super e cheio, bem cheio!” Lhe disse.
Retomando nosso caminho, pegamos a Ruta 14 já em clima de despedida da Argentina.
Os caminhoneiros que viam em sentido contrário buzinavam, abanavam, faziam sinal de positivo, já sabendo que, com as motos carregadas e sujas como estavam, e naquele sentido da rodovia, estávamos concluindo nossa viagem. Uma grande viagem!
Chegamos antes do anoitecer em Uruguaiana. Ficamos no hotel de sempre, e após um bom banho, fomos matar a saudade da comida brasileira. Jantamos em frente à linda praça da cidade e de sobremesa assistimos ao pré carnaval, com uma de suas escolas de samba, desfilando bem em frente ao local onde estávamos. Ainda bem que o hotel não ficava por ali, senão seria difícil dormir.
No dia seguinte, fomos acordados por um forte temporal, com uma quantidade de relâmpagos e trovões que eu nunca havia visto! Tomamos café descansadamente, esperando o mau tempo passar. A chuva amenizou um pouco, mas não parou. Como já era mais de 10 horas da manhã, resolvemos sair assim mesmo, com a esperança de que a chuva parasse no caminho. Só que aconteceu o contrário. À medida que nos distanciávamos de Uruguaiana a chuva ia ficando cada vez mais forte. Até Alegrete não enxergávamos quase nada, e fomos conduzindo devagar, pois não havia lugar nenhum para parar. Fomos sair da tempestade já em São Gabriel, onde paramos para um lanche e abastecimento. Na saída do posto, mais raios e trovões, e uma enorme nuvem preta se aproximando. Saímos rapidamente antes que a chuva nos alcançasse novamente. Viemos tranqüilamente e, para cair logo na realidade, enfrentamos um congestionamento entre Porto Alegre e Canoas.
Chegamos em nossa cidade, Sapucaia do Sul, por volta de 18 horas do dia 18 de janeiro.
Foram, no total, 15 dias de viagem com exatos 6800 km rodados. Uma viagem que recarregou nossas baterias para mais um ano de trabalho. Viagem que abasteceu nossas mentes de boas lembranças e nos permitiu um grande crescimento individual e também como casal. Juntos, mas cada um na sua!!!
Um grande abraço, Tatiane e Luciano Kremer.

2 comentários:

Isabel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Isabel disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.